Copyright © 2019 -  Irmãos dos Pobres I Todos os direitos reservados

Felipe Martinho Hoever fundou a Congregação dos Irmãos dos Pobres de São Francisco na véspera do Natal do ano de 1857, através da inspiração do Espirito Santo e com o apoio da Beata Madre Francisca Schervier, fundadora das Irmãs dos Pobres de São Francisco. A mais nova Congregação daquele período, ficou sob a liderança de Felipe Hoever, conhecido entres os irmãos como Frei João. Desde o início da fundação o pai Fundador pedia constantemente a intercessão a São José para a jovem comunidade religiosa que cresceu e se espalhou rapidamente do berço de Aachen para outras cidades da Alemanha.

  

Frei João Hoever nasceu no dia 10 de novembro de 1816. Sua família simples de agricultores que trabalhava arduamente na região montanhosa de Neuhonrath, na Alemanha. Embora sua ajuda fosse necessária na fazenda, o pároco local viu o potencial no jovem Hoever e o encorajou sua vontade de aprender, pois desde criança sua mãe o incentiva ao estudo e a leitura de diversos livros, a começar pelos livros de orações. Esse encorajamento rendeu um futuro brilhante ao pai fundador que tornou-se um professor, dedicado e bem-sucedido.

Durante os primeiros anos de sua vida como professor de escola primária, ele conheceu e casou-se com Anna Maria Katherine Zimmermann e desta união vieram dois meninos, um dos quais tornou-se um padre jesuíta e autor, enquanto o outro, um político de sucesso. Em uma idade muito precoce, os meninos e seu pai perderam a mãe e a esposa devido a uma morte súbita. Filipe consolou-se dedicam-se ao trabalho como membro da Sociedade de São Vicente de Paulo que havia acabo de chegar na cidade de Aachen e também ingressou na Ordem Franciscana Secular. Foi na OFS, que ele conheceu Francisca Schervier. A Ordem Franciscana Secular (Ordos Franciscanus Saecularis) é uma Ordem da Igreja Católica, fundada por Francisco de Assis e composta tanto por homens como por mulheres (sendo, portanto, de natureza mista), que buscam fazer de suas vidas um verdadeiro seguimento de Cristo, no espírito de São Francisco de Assis. Originalmente denominados pelo próprio Francisco como os Irmãos e Irmãs da Penitência, a Ordem está aberta a qualquer católico que não seja vinculado por votos religiosos a alguma ordem religiosa ou instituto de vida consagrada e é composta por seculares (pessoas que não se separam do mundo, ou seja, os religiosos), podendo ser leigos ou do pertencentes ao clero secular (diáconos, sacerdotes e bispos).

Assim, este encontro com Francisca Schervier mudaria a rota do percurso da vida do recém viúvo Felipe Martinho Hoever. Mais tarde os outros membros da Terceira Ordem se juntariam a Felipe Hoever naquela memorável véspera de Natal de 1857, quando ajoelharam-se diante do menino Jesus na manjedoura e se comprometeram como uma fraternidade de Irmãos Franciscanos.
Com o passar do tempo, as preocupações da jovem comunidade, seu trabalho de docente e o bem-estar de seus dois filhos trouxeram um declínio na saúde do pai Fundador. Sentindo que sua morte estava próxima, ele transferiu a liderança dessa jovem comunidade diocesana para o Frei Boaventura Schaeben. Com a morte do fundador, em 13 de julho de 1864, ficou evidente que a escolha correta havia sido feita para levar a Comunidade adiante. Sob sua diligente liderança, a jovem comunidade cresceu e prosperou até mesmo para atravessar o Atlântico. Mais tarde, em 1910, sob a liderança de Frei Atanásio Wietmann, a Congregação obteve a aprovação papal.

Hoje, a Congregação dos Irmãos dos Pobres de São Francisco está presente na Alemanha (sede geral), na Bélgica, no Brasil e nos Estados Unidos.
As palavras do profeta Miqueias podem hoje ser aplicarem a nossa Congregação: “E tu, Belém Efrata, embora sejas apenas uma pequena aldeia de Judá... pois através de você sua grandeza alcançará até os confins da terra ...” (Miquéias 5,2-4), pois, assim, é a vocação da nossa Congregação dos Irmãos dos Pobres de São Francisco, embora em pequeno número, continua a alcançar e tocar as vidas de muitas pessoas em estado de vulnerabilidade social, pessoas que são excluídas da sociedade. Nos aproximamos destas pessoas através dos nossos variados ministérios, utilizando os dons e talentos de cada irmão, pois nosso carisma é servir o Cristo nos pobres e sofredores.
Nosso amado pai fundador Frei João Hoever, encorajou seus irmãos a serem “instrumentos de Deus quando e onde Ele escolher”, assim, pedimos ao Senhor da messe que essa admoestação nos leve a um futuro cheio de esperança e reflorescimento da nossa Congregação. 

Renuncie-si a si mesmo, tome sua cruz e SIGA-ME.